notícias

21.10.2015
Escola da Cidade recebe O.bra Festival

O.bra Festival acontece nos dias 23, 24 e 25 de outubro e terá atividades gratuitas para o público. O Festival trará cinema na rua, palestras, workshops e outras atividades. As inscrições serão feitas pelo site do Itaú Cultural, instituição parceira do O.bra


Nos dias 23, 24 e 25 de outubro, São Paulo recebe a primeira edição do O.bra Festival (http://obrafestival.com/inicio), evento internacional de arte de rua no Brasil. Idealizado e organizado por Marcelo Pimentel e Marina Bortoluzzi, os nomes por trás do Instagrafite; Vera Santana, da DaTerra Produções Culturais, e pelo empresário Luan Cardoso, o O.bra será uma verdadeira galeria de arte a céu aberto na cidade.

Além do line-up com 18 artistas nacionais e internacionais, a maioria da primeira geração da arte de rua, que, em duplas estão produzindo oito empenas de grande escala e uma instalação na região do Largo do Arouche, em São Paulo, o O.bra terá uma programação vasta com atividades, como yoga na rua, palestras e workshops com artistas e profissionais renomados da street art, cinema ao livre, music jam sessions, dentre outras atividades gratuitas.

Todas as inscrições para workshops e palestras serão realizadas exclusivamente pelo site do Itaú Cultural, instituição parceira do O.bra. As inscrições podem ser feitas a partir do dia 19 de outubro.

AÇÕES NA ESCOLA DA CIDADE

  • Sábado (24/10)

14h às 17h – “Fotografia de rua”, workshop com Flávio Samelo

Desde 1992, Flavio Samelo anda pelas ruas de São Paulo fotografando skatistas. Alguns deles eram também grafiteiros e outros pichadores que acabavam convidando Samelo, como é conhecido, parafotografar os grafites e os pichos também pelas ruas da cidade. Esse foi o começo de muita história para o fotógrafo que acabou entrando para a arte pelas ruas, assim como entrou na fotografia. Essa outra produção acabou levando Samelo a introduzir em suas fotografias de skate, os grafites, pichações e outros elementos urbanos que lhe chamavam a atenção nas sessions de skate e que foi seu diferencial durante o começo de suas fotografias. Flavio Samelo irá primeiro conversar, em sala de aula, com os participantes sobre sua experiência mostrando, através de suas fotografias, técnicas e dicas de como fotografar na rua. Após um papo de uma hora, ele e todos irão sair a campo em busca de cliques pelo Festival, capturando não só as artes e a programação do O.bra, mas outras cenas paralelas que também acontecem e não percebemos por ali.
30 vagas, inscrições no site www.itaucultural.org.br/festivalobra
A partir de 14 anos
Material necessário: Celular com câmera e cabo para descarregar as fotos

Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

16h às 17h – “Arte de rua: uma visão global pela fotografia”, palestra com Martha Cooper
Martha Cooper é uma fotojornalista americana, nascida nos anos 40 em Baltimore, Maryland. Com experiência como fotógrafa no New York Post e na National Geographic, nos anos 70, descobriu a cena do graffiti na mesma época e desde lá nunca mais parou. Hoje é uma das grandes referências e lendas no universo da arte de rua. Nesta palestra, ela irá contar sua história, experiência e apresentar registros preciosos que relatam o início e o surgimento do graffiti até os dias de hoje.

100 vagas, inscrições no site www.itaucultural.org.br/festivalobra
Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

 

  • Domingo (25/10)

14h às 15h – “Arte, ferramenta recriadora das cidades”, palestra com Baixo Ribeiro, Felipe Morozini e Eduardo Srur

Felipe Morozini, fotógrafo, multiartista apaixonado por São Paulo e um dos diretores da Associação Parque do Minhocão; Baixo Ribeiro, fundador da Galeria Choque Cultural e curador de arte que hoje conduz seu Instituto Choque Cultural com aulas sobre arte e cidade; e Eduardo Srur, artista visual conhecido por suas intervenções urbanas na cidade de São Paulo. Os três  participam de uma conversa descontraída e inspiradora, conduzida pela jornalista Renata Simões,contando suas experiências e sugestões de como a arte pode ocupar e recriar de uma maneira positiva as cidades.
Moderadora: Renata Simões

100 vagas, inscrições no site www.itaucultural.org.br/festivalobra
Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

16h às 17h – “Rackeamento de estruturas simbólicas”, palestra com Stephan Doitschinof
A obra de Stephan Doitschinoff desdobra-se em diferentes vertentes que vão desde pintura, instalações em contexto museológico, arte pública, video, música e performance. Em todas estas abordagens, seu trabalho é permeado por uma linguagem altamente criptografada e simbólica. O que a primeira vista parece ser uma narrativa visual impregnada de referências religiosas ou esotéricas, sob um olhar mais cuidadoso revela um processo de apropriação de estrutura e ressignificação. O conteúdo é formado por questionamentos que visam promover um espaço de reflexão e crítica, não necessariamente relacionado à religião. A estrutura religiosa é escolhida por ser uma linguagem comum, que tem o poder de capturar a atenção do grande público através da familiaridade e de sua presença massiva na sociedade desde suas fundações.
100 vagas, inscrições no site www.itaucultural.org.br/festivalobra
Local: Escola da Cidade, Rua Gen. Jardim, 65 – Vila Buarque

CLIQUE AQUI para conferir a programação completa do Festival

 

CartazObra