notícias

20.04.2017
Escola da Cidade exibe a exposição “Diagrama Contracondutas” sobre trabalho escravo

Coletiva que fica em cartaz até o dia 13 de maio em São Paulo reúne painéis informativos, pôsteres, publicações, gravuras e vídeos que têm como tema a exploração da mão-de-obra análoga a escravo no Brasil. Entrada gratuita

A Escola da Cidade promove de 8 de abril a 13 de maio de 2017, a exposição “Diagrama Contracondutas”. A coletiva confere visualidade e materialidade aos resultados de um ano de pesquisa do projeto Contracondutas, e suas ações político-pedagógicas relacionadas ao tema do trabalho análogo ao escravo e seus desdobramentos. Embora seja um momento conclusivo, os produtos, publicações, pesquisas e articulações propostas repercutirão no tempo os enunciados propostos pelo projeto: a exposição é diagrama de um projeto em transcurso.

Entre os trabalhos dos artistas convidados e selecionados por chamada aberta estão o Núcleo de Estudos das Espacialidades Contemporâneas – NEC/IAU-USP, a artista visual Raquel Garbelotti, o Coletivo 308, Coletivo Metade e Vânia Medeiros.

A artista Raquel Garbelotti exibe a videoinstalação inédita “Mise-en-Scéne”, com dois filmes feitos em estúdio a partir da simulação da circunvolução solar em volta da maquete de uma das casas onde foram encontrados trabalhadores em condições análogas a escravo, nas imediações do Terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos. O resultado evidencia as condições insalubres de moradia a que eram submetidos os trabalhadores.

Coletivo 308, por sua vez, amplia o alcance do “Projeto Labor”, realizado originalmente em Guarulhos, com a exibição de duas grandes matrizes xilográficas em que são representadas as moradias e os arredores do Aeroporto Internacional e sua impressão em lambe-lambes, espalhados pelo espaço expositivo. Exibem, também, série de objetos escultóricos feitos em barro e gesso, no formato de um avião e de uma carriola.

NEC/IAU-USP de São Carlos apresenta “GRU-III: Contracartografias”, que consiste em painéis diagramáticos com mapas e textos que elucidam as relações econômicas e de trabalho que atravessam a dinâmica aeroportuária, com foco na construção do T3 de Guarulhos, além de um conjunto de diagramas que atenta para os diversos atores envolvidos em grandes canteiros de obras.

O Coletivo Metade, formado por Ana Sayeg Tranchesi e Isabella Beneducci Assad, realizou pesquisa de campo na municipalidade de Petrolândia, em Pernambuco, de onde grande parte dos trabalhadores do Terminal 3 veio, aliciada por atravessadores. A pesquisa se transforma na obra “CentoeOnze”, em que tótens sonoros amplificam declarações desses trabalhadores. Vânia Medeiros exibe o livro “Caderno de Campo”, com uma série de desenhos feitos por trabalhadores da construção civil a partir de ateliês, conduzidos pela artista, em que eles representam cenários de trabalho.

Completam a exposição: uma pequena biblioteca com livros sobre o tema e cinco pesquisas acadêmicas-experimentais de estudantes e professores da Escola da Cidade; a série de reportagens “Por detrás do tapume”, de Sabrina Duran, com fotografias de Renata Ursaia, realizadas especialmente para o projeto; o vídeo “Terminal 3”, com direção de Thomaz Pedro e Marques Casara, da Papel Social; e o trabalho coletivo “Em Paralelo”.

A exposição “Diagrama Contracondutas” vai itinerar para o município de Guarulhos e para Liverpool, na Grã-Bretanha, após seu encerramento em São Paulo.

 

Contracondutas

O projeto Contracondutas se origina da atuação do sistema de justiça do trabalho dentro das ações de combate e erradicação do trabalho análogo a escravo na construção do Terminal 3, do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em 2013. Com a aprovação do Ministério Público do Trabalho, a Associação Escola da Cidade ficou encarregada de elaborar um projeto amplo e público que buscasse problematizar, difundir e transformar o conhecimento e a realidade do problema–enfrentamento nesse procedimento de justiça a partir de uma abordagem sobre a questão do trabalho análogo a escravo na contemporaneidade.

Com duração de um ano – maio de 2016 a maio de 2017 -, o projeto Contracondutas foi idealizado por uma equipe interdisciplinar de profissionais, no âmbito do Conselho Técnico e opera como dispositivo que atravessa diversas atividades didático pedagógicas da Escola da Cidade – Seminário de Cultura e Realidade Contemporânea, o programa de Estágios de Pesquisa Científica e Experimental, o “Contra – Seminário Internacional – Condutas: Políticas da arquitetura e trabalho escravo na contemporaneidade” – ao mesmo tempo que incorpora e provoca indagações acadêmicas, jornalísticas e artísticas, projetando-se em direção ao debate público do tema e seus impactos na cidade, nas relações sociais, na ocupação do território, nos fluxos migratórios, nas políticas públicas e nas produções culturais.

No site do Contracondutas podem ser acessados diversos materiais que enriquecem a discussão sobre o tema do trabalho análogo ao escravo. Clique Aqui

 

Serviço
Exposição coletiva “Diagrama Contracondutas”

  • Data: De 08 de abril a 13 de maio de 2017
  • Dias e Horários: de segunda a sexta, das 10 às 20 horas; sábados, das 10 às 16 horas. Fechada nos dias: 21 e 22 de abril. Aberta no feriado 1 de maio, dia do trabalho.
  • Local: Escola da Cidade | Rua General Jardim, 65 – Vila Buarque – São Paulo – SP

 

Exposição Diagrama Contracondutas
Exposição Diagrama Contracondutas
Exposição Diagrama Contracondutas